Consciência, coração
Pedra bruta a ser moldada
Processo de lapidação
Tornando-se alma adornada

Calculista, ventre frio
Descontentamento
Face opaca, sem brio
Espelho reflete tormento

Sorriso forçado
Máscara de simpatia
Esconde peito amargurado
Imaturidade, rebeldia

Coração de pedra
Não sente a alma chorar
Preso insensível em cela
Sentimento de amargar

Mãos estendidas
Ferem, apunhalam
Calada da noite sombria
Intenções fétidas exalam

A vida querendo pulsar
Mudar essa estação
Aquecer e transformar
Abrilhantar o coração

Quebrar a estrutura
Transmutar o sujeito
Deixar a alma pura
Preencher o vazio do peito

Coração de pedra
Não sente a alma chorar
Preso insensível em cela
Sentimento de amargar

Por Michele Mi 
Tema sugerido: André Vidal – Rosana/SP

Participe você também dos poemas! Faça sua sugestão enviando um tema. Ele será veiculado aqui e no site www.razaodavida.com acesse!

Comentários Facebook

Deixe uma resposta