Advinda do divinal, assentada em cada ser, é dela que jorra água pura e cristalina, palavras que saciam a alma do saber, manancial de sabedoria. Porção da existência celeste pulsando cada coração, dela vem a paz verdadeira e toda divina inspiração. Árvore do bem que produz frutos excelentes, elevando todas as almas, acalmando todas as mentes. Excelência da justiça, da compreensão e do amor, fonte perene da vida, eterno resplendor. Pedra bem fundada no âmago do ser humano, jorra água que transforma e transmuta o imo profano. Nascente da felicidade, fonte espiritual, o provisório não é seu plano, sua raiz é celestial.
Devemos cavar nosso interno, abrir as portas do céu, deixar a chuva nos banhar, limpar e rasgar nosso véu. Levando toda soberba, todos os veios materiais, para exalarmos a pura essência e resplandecer características celestiais. Por onde passar tocar os corações, avivando os sentimentos, acordar as nações, deixar de ser fragmentos.
Que as crianças refresquem-se nas águas puras, os jovens anseiem e busquem com fervor no tempo da mocidade, os maduros se aprumem cuidando da própria eternidade.
Nossas línguas são como leme, que apontam a direção, sejamos instrumentos do bem, guiando as almas no caminho da vida, iluminado pela luz da razão.

Por Michele Mi

Comentários Facebook

Deixe uma resposta