Eu não existia, mas hoje estou aqui, alcancei a primeira fase da vida, pois com a luz eu parti. Ainda era inconsciente, mas pelo instinto eu a busquei, adentrei o ventre de minha mãe e ali me gestei. Que coisa linda de refletir, todo caminho que já passei e junto a mim a mão divina que só depois de algum tempo conscientizei.
Cresci neste mundo como todos e produzi minha consciência, mas não sabia qual era o sentido da vida, a razão da nossa existência. Olhava para o lado de fora e tropeçava no entendimento, mas um dia um sentimento aflorou e voltei-me para dentro. A verdade bateu a minha porta e abri meu coração, descobri meu próprio universo, tamanha vastidão. Uma grandeza imensurável, minha própria consciência, que dá valor à existência. Este universo ainda era escuro, mas foi curada minha visão, encontrei bem lá no fundo, o grande “x” da questão. Foi um grande clarão, que me fez acordar, e como o início das manhãs, o sol veio iluminar. Então descobri este astro, escondido em meu interno, a estrela que brilha em mim, celeste e sempiterno. Clareou a minha alma, é a luz que guia meus passos, bússola do meu coração, serenidade dos meus traços.
Ela brilha em cada um, mas quem de fato a vê? É necessário trilhar o inverso, e a si mesmo reconhecer, refletir seu próprio espelho e como consciência se ver. Então verá dois lados opostos, em meio a tua imensidão, e junto a responsabilidade de qual refletirá em teu coração.

Michele Mi

Comentários Facebook

Deixe uma resposta