Muitos confundem o que é ser casto e desconhecem sua hermenêutica, é tornar-se puro, sem mancha, ser alva, dentro da própria consciência. Tornar-se alma, sem nenhum vestígio material, passar por completo o processo da metamorfose existencial. Então obterá a recompensa, a vida por toda eternidade, majestosa consciência, em sua plena liberdade. Adentrará outro plano, uma nova dimensão, onde a luz e a paz será perpétua, sem choro e nem solidão. Prazeres contínuos na alma, plenitude de um corpo imortal, impossível hoje ter ciência dessa maravilha transcendental. O que é útil temos em nosso interno, uma fonte de água cristalina, ela brota de uma pedra assentada no alto da colina. É ela que mata nossa sede e purifica nosso coração, fortalece, ensina e enriquece os imos que estavam na escuridão. É necessário olhar para frente e seguir a luz da sabedoria, apagar o passado negrume, sentir no ventre a alforria. Desde já colhemos os frutos da terra preparada em castidade, perfeita e digna colheita com sabor da verdadeira liberdade.

Por Michele Mi 

Comentários Facebook

Deixe uma resposta