Esta expressão, teto de vidro, se refere as pessoas que se ofendem facilmente por qualquer coisa. Geralmente, pessoas assim, costumam jogar pedras no teto dos outros, mas quando alguém joga pedra no teto dela, ela se ofende facilmente. São pessoas que brincam, mas não aceitam brincadeira. Repreende os outros naquilo que elas mesmas fazem, é o famoso dito: faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço. Já foi dito: você que ensina os outros, não ensina a ti mesmo? Você que diz que não deve furtar, furtas? Você que condena traição nos outros, trai? Nestas consciências se cumpre o ditado que diz: pimenta nos olhos dos outros é refresco, pois elas mesmas não suportam o que fazem com os outros.

Existem muitos telhados de vidro por aí, pessoas que brincam com coisa séria, mas não suportam correções, são consciências fracas que não suportam uma só palavra. Não basta ter aparência de forte, mas a consciência não suportar passar por nenhuma provação. Consciência assim geralmente quer receber amor, mas não ama, quer que os outros a compreenda, mas não compreende ninguém. Quer que os outros a suportem, mas não suporta ninguém, ata fardos pesados e põe nas costas dos outros, mas ela mesma não levanta nem com um dedo. Estes são os tetos de vidro, consciências que cuidam muito das consciências dos outros, mas não cuidam de si mesmas. A lei diz que toda consciência cobra muito dos outros, naquilo que ela mesma é fraca.

Por Michele Mi

Comentários Facebook

Deixe uma resposta