O time chinês vem enfrentando uma crise financeira
O time chinês vem enfrentando uma crise financeira

Zero. Esse é o custo, em real ou em qualquer moeda, que terá o interessado para assumir o controle de um clube chinês da primeira divisão.

O Tianjin Tianhai, equipe em que já atuou Alexandre Pato, hoje no São Paulo, tem tido dificuldades financeiras desde que a companhia farmacêutica Quanjian, então dona do clube, envolveu-se em um escândalo de fraudes na China.

No início do ano passado, a Associação de Futebol de Tianjin passou a administrar o time, que fez nos meses seguintes uma campanha sofrível no Campeonato Chinês. Com apenas quatro vitórias em 30 partidas, escapou por pouco do rebaixamento.

A dívida do clube gira hoje em torno de US$ 145 milhões (R$ 676 milhões), e seus ativos estão na casa dos US$ 100 milhões (R$ 466 milhões).

Não será, porém, qualquer um a bater à porta do Tianjin Tianhai que passará imediatamente a ser seu proprietário.

O atual comando do clube analisará o projeto do cidadão ou do grupo interessado, que precisará ser bem endinheirado, antes de chancelar o negócio.

Talvez não aconteça tão rápido. Com o atual quadro de epidemia do novo coronavírus, que teve a China como epicentro, investir em qualquer coisa relacionada ao país não parece atraente por ora.

Mais de 3.000 pessoas morreram no país devido à doença, e o Campeonato Chinês, que deveria ter começado no fim de fevereiro, foi adiado -ainda não há nova data para a bola rolar.

Fonte: FolhaPRESS

Comentários Facebook

Deixe uma resposta