Afonso Pena deverá receber voos internacionais sem restrições

Afirmação é do secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná

O secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, reafirmou que o aeroporto Afonso Pena, localizado em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, vai operar na categoria E (eco) sem restrições, ou seja, terá capacidade para receber voos diretos dos continentes Americano e Europeu.

“O Afonso Pena vai operar como o Guarulhos, em São Paulo. Ou seja, aqui descerá aviões vindos da Europa e Estados Unidos”, disse o secretário, durante a terceira audiência pública presencial referente à concessão de aeroporto promovida nesta terça-feira (10) pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) em Curitiba. “Este é um compromisso entre o Governo do Estado e o Ministério da Infraestrutura firmado durante uma reunião em Brasília em que o governador Carlos Massa Ratinho Júnior participou pessoalmente”, completou.

Durante a audiência, representantes da ANAC e da Secretaria Nacional de Aviação Civil, do Ministério da Infraestrutura (SNAC/Minfra) expuseram detalhes do processo de concessão dos aeroportos que incluem o chamado Bloco Sul, composto por nove aeroportos: Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Bacacheri, no Paraná; Navegantes e Joinville, em Santa Catarina; e Pelotas, Uruguaiana e Bagé, no Rio Grande do Sul. A contribuição inicial mínima para esse bloco é de R$ 516 milhões. O valor estimado para todo o contrato da concessão é de R$ 8 bilhões.

CHAMARIZ – O Afonso Pena é o grande chamariz do Bloco Sul, com uma representatividade de 3% do mercado aéreo brasileiro, seguido do aeroporto de Foz do Iguaçu, que também será capaz de receber voos diretos vindos de outros continentes. “Esta é uma importante vitória do Governo do Estado. Em muito breve, Foz do Iguaçu passará o Rio de Janeiro transformando-se no principal destino de estrangeiros do país”, afirmou Sandro Alex.

O secretário esclareceu que o edital de chamamento público de estudos que vai subsidiar o edital de concessão não prevê a autonomia completa do Afonso Pena. “Este edital foi uma primeira versão. Ele será atualizado e trará as novas especificações que serão exigidas para os aeroportos paranaenses”, garantiu.

O diretor de Políticas Regulatórias da SNAC, Ricardo Fonseca, apresentou um panorama do setor revelando, entre outras coisas, o aumento do volume de passageiros nos aeroportos do Brasil, alcançando em 2019 a marca de 219 milhões – que representa um acréscimo de 7,4% se comparado com o ano de 2013.

CRONOGRAMA — Com relação aos prazos da concessão, Fonseca disse que o cronograma está em dia e que findando as audiências públicas, a previsão é que todo o processo seja remetido ainda neste primeiro semestre de 2020 para análise do Tribunal de Contas da União (TCU), para em seguida, no segundo semestre deste ano, lançar o edital de licitação. O leilão está previsto para o fim de 2020 e a celebração dos contratos de concessão devem ocorrer até o fim do primeiro semestre de 2020 – para posterior início das operações por parte das empresas concessionárias.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Comentários Facebook
By Redação

Equipe da redação do Boletim de Informações da mexfm.com

Deixe uma resposta

No widgets found. Go to Widget page and add the widget in Offcanvas Sidebar Widget Area.
%d blogueiros gostam disto: