Cerca de 3 mil estudantes começaram a trajetória na instituição de ensino nesta terça-feira (3), na abertura das atividades
Cerca de 3 mil estudantes começaram a trajetória na instituição de ensino nesta terça-feira (3), na abertura das atividades

Uma nova etapa na vida de cerca de 3 mil novos alunos ingressantes nos cursos de graduação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) começou nesta terça-feira (3). O primeiro dia da Calourada 2020, evento tradicional de recepção da instituição, contou com uma apresentação dos órgãos superiores e lideranças da universidade, além de uma palestra com o professor Leandro Karnal.

A abertura do ano letivo também contou com uma mostra de órgãos e entidades estudantis. As atividades deste ano são todas voltadas à discussão e promoção dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas.

As metas definidas pela ONU projetam um futuro melhor para todas as pessoas até 2030 e a Unicamp reconhece o papel, enquanto universidade, de buscar esses objetivos tanto nas pesquisas e inovações produzidas quanto nas relações humanas estabelecidas.

“Somos todos humanos, mas precisamos estar juntos pelos humanos, pela vida na Terra. Quando a Pró-Reitoria de Graduação faz a opção para celebrar na Calourada os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável, ela está fazendo uma opção pelos direitos humanos”, explicou Néri de Barros Almeida, diretora-executiva de Direitos Humanos da Unicamp.

De acordo com a gestora, é importante que os estudantes saibam dessa responsabilidade desde o início da vida acadêmica. “Eu gostaria de que a ideia de direitos humanos na instituição nos ajudasse a refletir sobre o compromisso que a universidade tem com a garantia dos direitos humanos no presente e no futuro”, comentou.

Acolhida

A abertura da Calourada também foi uma oportunidade para os estudantes já se conhecerem e construírem amizades. Incentivados pela pró-reitora de graduação, Eliana Amaral, eles tiveram alguns minutos para conversar com os colegas ao lado e reconhecer neles companheiros de caminhada.

A pró-reitora também lembrou os estudantes sobre as ações e políticas da universidade voltadas a garantir a permanência e o bem-estar dos alunos. “A Unicamp é hoje, na nossa percepção, a universidade que tem o maior investimento em permanência estudantil. A instituição provê 911 vagas na moradia estudantil, além de bolsas para alunos que tenham índices de classificação social que se enquadrem nisso, provê alimentação para quem tem renda familiar menor que 1,5 salário mínimo per capita”, ressaltou Eliana Amaral.

Marcelo Knobel, reitor da Unicamp, compartilhou com os calouros um pouco das memórias como aluno da instituição. Ele contou que ingressou no curso de Física em 1986 e sabe o quanto eles podem estar apreensivos e até perdidos dentro do campus, mas que a universidade está de portas abertas para garantir que todos tenham uma excelente experiência nos próximos anos.

“O que vocês terão aqui na Unicamp é algo único. Só pelo que foi apresentado aqui vocês veem a diferença da Unicamp para outras universidades, outras faculdades. É justamente na instituição que têm a oportunidade de conviver com colegas de áreas como humanidades, biomédicas, exatas, tecnológicas. Todo mundo realmente contribuindo para um ambiente rico”, enfatizou o reitor.

Palestra

Após as apresentações oficiais, os calouros assistiram à palestra de Leandro Karnal, professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Com o tema “Universidade, Brasil e Projeto Pessoal”, Karnal revelou aos alunos que a inspiração para preparar a apresentação partiu de um questionamento simples: “O que eu gostaria de ter ouvido aos 16 anos, quando entrei na universidade?”.

A partir de um breve relato da experiência como estudante e depois como professor da Unicamp, o docente estimulou os alunos a refletirem sobre o compromisso de construir a própria trajetória dentro e fora do mundo acadêmico. “A universidade é muito boa, mas ela pertence a você. Ela não será feita por bons ou maus professores, será feita por você. Tudo o que há pela frente é um livro em branco. O que eu sei do futuro? Nada. Toda profecia é picaretagem”, disse Leandro Karnal.

Entre os novos estudantes, o sentimento era de alegria, mas também de nervosismo. Sair da casa dos pais, morar outra cidade, ingressar em uma grande universidade e dar início à vida universitária é uma mudança que gera uma insegurança compreensível. É o que conta a paulistana Jéssica Terwedow, de 18 anos, caloura do curso de Farmácia. “Dá um medo de sair de casa, porém eu já estou morando em um pensionato e conhecendo a galera. Está dando certo e minha mãe me apoiou bastante”, revelou a estudante.

Foi pensando nisso que a Pró-Reitoria de Graduação (PRG), o Serviço de Assistência Psicológica e Psiquiátrica ao Estudante (SAPPE) e o Serviço de Apoio ao Estudante (SAE) lançaram a cartilha “Boas Práticas para a Promoção de Bem-Estar na Universidade”.

O material reúne uma série de informações e dicas aos alunos sobre como cuidar do equilíbrio e da saúde mental ao longo da vida acadêmica, além de orientar sobre os órgãos e serviços que podem auxiliar os estudantes em momentos de dificuldades. A programação da Calourada 2020 segue até o fim de março e conta com diversas atividades na Unicamp.

Fonte: SP Notícias

Comentários Facebook

Deixe uma resposta