Estudantes de Santa Bárbara D’Oeste desenvolveram projeto de biblioteca comunitária como Trabalho de Conclusão de Curso
Estudantes de Santa Bárbara D’Oeste desenvolveram projeto de biblioteca comunitária como Trabalho de Conclusão de Curso

Alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) Prof. Dr. José Dagnoni, de Santa Bárbara d’Oeste, criaram uma “geladeiroteca”, instalada na Praça Malala, em Americana, na região de Campinas. No lugar de legumes, verduras, ovos ou refrigerantes, a novidade armazena livros.

No ano passado, os estudantes do curso técnico de Administração Henrique Marques, Isabela Oliveira, Isabella Pascoutto e Talita Neves se juntaram para elaborar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Pesquisando, os jovens souberam da revitalização de uma praça localizada na cidade vizinha e resolveram colaborar com a transformação do espaço, montando uma biblioteca comunitária.

“Vimos que algumas prefeituras estavam adotando as geladeirotecas”, destaca Henrique Marques. De acordo com o aluno, há uma experiência em Americana e outra em um hospital de Santa Bárbara d’Oeste. “Até pensamos em usar outra estrutura, mas a geladeira é muito funcional quando se trata de montar uma pequena biblioteca”, completa o estudante.

Habilidades

Os jovens compraram a carcaça do eletrodoméstico por R$ 30 e ganharam as prateleiras de uma marcenaria. A artista Larissa Luiz fez a pintura da peça e os estudantes conseguiram doações de livros.

“Os alunos tiveram que pesquisar sobre hábitos de leitura, gerenciaram conflitos, desenvolveram habilidades de comunicação e relacionamentos e aprenderam a respeito da solidariedade”, salienta a orientadora do TCC, Cleusa Leme Degrossoli.

Embora tenham concluído o curso, os integrantes do grupo vão semanalmente à praça para acompanhar o funcionamento da novidade. O acesso ao acervo é livre, com a ideia de que as pessoas peguem e devolvam os livros voluntariamente.

“Verificamos que, além de devolver, as pessoas fazem doações de novos exemplares”, acrescenta Henrique Marques. Entre as obras disponíveis estão “O Menino Maluquinho”, de Ziraldo, “A Cidade e as Serras”, de Eça de Queirós, “O Vendedor de Sonhos”, de Augusto Cury, e histórias em quadrinhos.

Ação comunitária

A Praça Malala, onde está a “biblioteca”, fica no bairro Frezzarin, em Americana. O nome do espaço cultural é uma homenagem à ativista paquistanesa Malala Yousafzai, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz de 2014, pela luta em prol do direito das meninas à educação. A área foi revitalizada pela comunidade, liderada pela jornalista Luiza Cazetta.

Fonte: SP Notícias

Comentários Facebook

Deixe uma resposta