Reforço do sistema tem como objetivo melhorar o atendimento à demanda por energia na RMC e tornar a rede de transmissão mais confiável, reduzindo o risco de desligamentos causados por falha em equipamentos obsoletos
Reforço do sistema tem como objetivo melhorar o atendimento à demanda por energia na RMC e tornar a rede de transmissão mais confiável, reduzindo o risco de desligamentos causados por falha em equipamentos obsoletos

A Copel vai reforçar o sistema de transmissão na Região Metropolitana de Curitiba com a recapacitação de duas importantes linhas que operam em 230 mil volts (kV) e conectam a subestação Pilarzinho, na Capital, às subestações Santa Mônica, localizada em Colombo, e Bateias, em Campo Largo. O investimento previsto é de R$ 32 milhões. As melhorias vão beneficiar diretamente cerca de 3,6 milhões de habitantes.

“A recapacitação tem como objetivo melhorar o atendimento à demanda por energia na RMC e tornar a rede de transmissão mais confiável, reduzindo o risco de desligamentos causados por falha em equipamentos obsoletos”, explica o diretor-presidente da Copel Geração e Transmissão, Moacir Carlos Bertol.

No total, 63 quilômetros de linhas devem passar por uma reforma geral, incluindo a troca de cabos antigos por novos que tenham maior capacidade de conduzir corrente elétrica e, também, a substituição de torres – por conta dos novos esforços e trações – cadeias de isoladores, cabos para-raios, aterramentos e outros.

A companhia vai lançar nos próximos dias a licitação para contratação do projeto. As obras devem ter início no segundo semestre de 2021 e ser concluídas até janeiro de 2023, prazo estabelecido na Resolução Autorizativa da Agência Nacional de Energia Elétrica nº 8543, de 21 de janeiro de 2020.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Comentários Facebook

Deixe uma resposta