Encontro abordou as atividades em andamento do projeto do Governo do Estado, que teve início em agosto de 2019
Encontro abordou as atividades em andamento do projeto do Governo do Estado, que teve início em agosto de 2019

Nesta última quarta-feira (19), o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado, Marcos Penido, apresentou as ações em andamento do projeto Novo Rio Pinheiros durante a 385ª reunião ordinária do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema).

As atividades começaram em agosto de 2019, em iniciativa do Governo do Estado para revitalizar o Pinheiros, na capital, reduzindo o esgoto lançado nos afluentes, melhorando a qualidade das águas e devolvendo o rio limpo à população da cidade até 2022.

Marcos Penido explicou que o projeto foi estruturado em cinco eixos: saneamento, manutenção, tratamento de resíduos sólidos, revitalização e comunicação e educação ambiental. O objetivo é impedir que esgoto e lixo cheguem ao curso d’água, interrompendo esse fluxo já nos afluentes.

Recursos

Os investimentos superam R$ 1,5 bilhão e as obras beneficiarão cerca de 3,3 milhões de pessoas que moram em locais abrangidos pela bacia do Rio Pinheiros, uma área de 271 km², que inclui bairros nos municípios de São Paulo, Embu das Artes e Taboão da Serra.

Com as águas mais limpas, transporte e lazer farão parte do rio e da cidade. A ideia é revitalizar o entorno do rio, fazendo a comunicação com as áreas de lazer. “Esse é um trabalho integrado da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente e suas empresas. A união é o único caminho para o resultado que queremos. Somente juntos vamos devolver o rio limpo, com trabalho de saneamento e ambiental”, ressalta o secretário Marcos Penido.

A gestão dos resíduos sólidos é outro desafio do Governo de São Paulo. Para equacionar a questão, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado (SIMA) criou o Comitê de Integração de Resíduos Sólidos (CIRS) para articular e aplicar, de maneira integrada, a legislação federal com a estadual, além de apoiar a gestão municipal, com medidas de coleta seletiva, reúso, não geração e destinação final dos resíduos sólidos.

Grupos de trabalho

O coordenador-executivo do CIRS, José Valverde, e Ivan Mello, do grupo gestor, apresentaram as ações do comitê, estruturado em seis grupos de trabalho: Revisão do Plano de Resíduos Sólidos do Estado de São Paulo (PERS); Regionalização e Consórcios; Logística Reversa, Coleta Seletiva e Ação Social; Planejamento e Controle de operações em Aterros Sanitários; Inovação Tecnológica para tratamento de Resíduos Sólidos; Educação Ambiental e Comunicação.

O Plano Plurianual 2020-2023 traz como novidade o Programa 2620 de Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos no Estado de São Paulo, que nasce com sete ações: promover soluções regionais e introduzir novas rotas tecnológicas, revisar o PERS e sua atualização, estabelecer o novo programa “R-GOV“, os sistemas de monitoramento dos fluxos resíduos recicláveis, a inspeção de aterros, o Sigor, com seu Módulo Construção Civil, e a logística reversa, com a responsabilidade no pós-consumo.

“As ações do CIRS refletem o senso de urgência que envolve o tema resíduos sólidos e soma-se ao momento de grande integração promovido pela SIMA, além de sinalizar o compromisso do Governo de São Paulo com a temática e de estabelecer diretrizes objetivas, essenciais para orientar as administrações municipais, o setor empresarial e a sociedade civil”, destaca José Valverde.

Fonte: SP Notícias

Comentários Facebook

Deixe uma resposta