Prenúncio do fim da guerra contra os fascistas em 1945, queda do maciço, abriu caminho para os Aliados em direção à Bolonha e ao Vale do Pó
Prenúncio do fim da guerra contra os fascistas em 1945, queda do maciço, abriu caminho para os Aliados em direção à Bolonha e ao Vale do Pó

Em 21 de fevereiro de 1945, portanto, há 75 anos, a Força Expedicionária Brasileira (FEB), constituída pela 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária (DIE), assumiu, após intensos combates contra contingentes do exército nazista alemão, o controle de Monte Castelo, na Itália, um relevante marco na ação dos países aliados na Segunda Guerra Mundial. Este glorioso feito representa, até esta data, a mais expressiva vitória militar da história do Brasil.

Registre-se que, conforme narrativas consideradas referenciais, nos dias subsequentes àquele triunfo, mais precisamente entre 23 e 25 do referido mês, a FEB alcançou êxito na disputa por La Serra. Em 5 de março, efetivou a ocupação de Castelnuevo. A ofensiva da primavera abrilhantou páginas daquela insigne campanha, destacando-se, entre outras, a conquista de Montese. Depois da descida dos Apeninos, vieram o sucesso em Collecchio, o cerco aos adversários e, posteriormente, a imposição de rendição incondicional à 232ª Divisão Alemã em Fornovo.

Destaque-se que as tropas brasileiras, compostas por mais de 25 mil homens e mulheres, detentores de inegáveis capacidades, tais como coragem e valentia, cruzaram o Atlântico nos navios americanos General Mann e General Meigs, dependendo das disponibilidades, com as escoltas adequadas.

Mais de 20 mil prisioneiros foram feitos e cerca de 500 brasileiros morreram na batalha que mais tarde tornou o mais importante feito histórico do Exército Brasileiro.

Manobra feita com um anfíbio do 30º BIMec de Apucarana, no lago do Jaboti - Foto: Facebook do Prefeito
Manobra feita com um anfíbio do 30º BIMec de Apucarana, no lago do Jaboti – Foto: Facebook do Prefeito

E entre as tropas brasileiras o primo e compadre do prefeito de Apucarana, o 1º Sargento José Ricardo Pepato, instrutor do Tiro de Guerra de Jahu, na ocasião e foi comandante do Tiro de Guerra de Uberlândia.

Os tiros de guerra são uma experiência brasileira, originários dos antigos clubes de tiro, que depois de 1916, foram impulsionados pela pregação patriota de Olavo Bilac, patrono do Serviço Militar, sendo aglutinada nas “Sociedades de Tiro Incorporada”, consequência, sobretudo, de um esforço comunitário municipal.

O Tiro de Guerra de Jahu foi criado em 31 de outubro de 1945 como TG 02-025.

O prefeito de Apucarana, Junior da Femac, fez questão de registrar essa importante conquista do Exército Brasileiro na sua rede social, além de comparecer da festa solene que aconteceu no 30ºBIMec instalado na cidade.

Junior da Femac na solenidade realizada no 30ºBIMec de Apucarana. Foto: Facebook do Prefeito
Junior da Femac na solenidade realizada no 30ºBIMec de Apucarana. Foto: Facebook do Prefeito

Leia: 30º BIMec celebra 75 anos da tomada de “Monte Castelo”

Direto da Redação

Comentários Facebook

Deixe uma resposta