Uso de jogos eletrônicos para ensino da matemática e universalizar acesso à internet de alta velocidade estão entre os projetos
Uso de jogos eletrônicos para ensino da matemática e universalizar acesso à internet de alta velocidade estão entre os projetos

Usar jogos eletrônicos para ensinar matemática e universalizar o acesso à Internet de alta velocidade em todas as escolas da rede estadual de ensino estão entre as prioridades da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte para 2020. Nesta terça-feira (18), o secretário Renato Feder apresentou ao governador Carlos Massa Ratinho Junior, durante a reunião do secretariado no Palácio Iguaçu, os projetos na área de tecnologia que serão implantados neste ano no Paraná.

A previsão da secretaria é fechar o ano com acesso à rede Wi-Fi em todas as 2,1 mil escolas da rede estadual, que também terão Internet com velocidade média de 100 kB por aluno, o mesmo padrão das escolas dos Estados Unidos, conforme destacou o secretário. Também vai dobrar o número de laboratórios de informática, que hoje são disponibilizados em 30% dos colégios.

“A educação de hoje exige uma nova forma de ensino, com muito mais presença tecnológica nas salas de aula. O método convencional já não é mais tão atrativo para o aluno, então temos que buscar novas ferramentas para melhorar a aprendizagem”, afirmou o governador.

“Sem contar que as profissões do futuro exigem conhecimento em tecnologia. Vamos iniciar a programação nas escolas estaduais para formar estudantes preparados para essa demanda”, disse.

APRENDIZAGEM – A tecnologia também estará mais presente na aprendizagem. O Governo do Estado pretende adquirir 150 kits de robótica para distribuir nas escolas, além de implantar a disciplina de programação na rede pública.

Também vai oferecer novas plataformas digitais, como os games que ensinam matemática de uma forma mais lúdica e interativa, despertando o interesse dos estudantes na matéria, e o uso de inteligência artificial para a correção de redações.

A disciplina de programação de computadores já é disponibilizada a 4 mil alunos do Estado, mas meta é ampliar para 50 mil neste ano, explicou o secretário. “Os alunos sairão do Ensino Médio sabendo programar, o que facilita bastante na hora de encontrar um emprego”, disse. “Ainda no primeiro semestre, faremos a licitação para adquirir a ferramenta da matemática gamificada a 200 mil alunos. Eles usarão os computadores para brincar de matemática”, disse Renato Feder.

Outro projeto que está para ser implantado e deve chegar a 100% da rede no final do ano é a tecnologia de reconhecimento facial para acompanhar a presença dos alunos em sala de aula.

AUMENTO DA FREQUÊNCIA – O secretário Feder também apresentou os programas implantados ao longo de 2019 pela Secretaria da Educação, como o Escola Segura, a Prova Paraná e o avanço da legislação que implementa o Ganhando o Mundo, projeto de intercâmbio do Governo do Estado que oferecerá bolsas de estudo em países de língua inglesa a alunos da rede pública.

Um dos destaques foi o Presente na Escola, que busca monitorar a presença e evitar o abandono escolar. Com a implementação do programa, mais de 60 mil alunos que tinham frequência irregular passaram a ir à escola com mais frequência, evitando o abandono ou a reprovação.

Aliados à iniciativa, estão outros dois programas: o Se Liga e o Mais Aprendizagem. “São programas que focam no aluno com risco de abandono e dificuldade de aprendizagem. O estudante que abandona a escola é aquele que já não vê mais sentido em frequentar, que aprende menos ou já está desconectado daquele ambiente”, ressaltou Feder. “Quando oferecemos aula de reforço e nivelamento, ele se sente parte e não deixa a escola”, disse.

PRESENÇAS – Além de secretários, superintendentes e diretores de autarquias e empresas públicas, a reunião contou com a presença dos deputados estaduais Hussein Bakri (líder do governo na Assembleia), Tiago Amaral, Soldado Adriano José, Delegado Recalcatti e Doutor Baptista.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Comentários Facebook

Deixe uma resposta