A Apae acaba de concluir um projeto financiado pelo Programa de Eficiência Energética da Copel, que trocou 1.399 lâmpadas e 12 refletores nas instalações da instituição, com tecnologia led, beneficiando 177 alunos
A Apae acaba de concluir um projeto financiado pelo Programa de Eficiência Energética da Copel, que trocou 1.399 lâmpadas e 12 refletores nas instalações da instituição, com tecnologia led, beneficiando 177 alunos

A iluminação de salas de aula, cozinha e ambientes administrativos da Apae em Maringá está diferente. A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais acaba de concluir um projeto financiado pelo Programa de Eficiência Energética da Copel, que trocou 1.399 lâmpadas e 12 refletores nas instalações da instituição, todas por tecnologia led, beneficiando os 177 alunos atendidos e profissionais que atuam na Apae.

O investimento de R$ 139 mil cobriu custos com equipamentos, mão de obra e a destinação das lâmpadas antigas fluorescentes e dos refletores de vapor de mercúrio.

Além da melhoria da iluminação, a reforma prevê economia anual de 70,59 MWh/ano, o suficiente para abastecer 34 residências médias paranaenses.

Segundo o gerente de Gestão da Inovação da Copel, Gustavo Klinguelfus, há ainda um terceiro fator envolvido na execução de projetos de eficiência energética, que é a dimensão educacional. “Todo projeto contempla também o trabalho de conscientização da comunidade envolvida, através de palestras e treinamentos, o que ajuda a disseminar a importância do bom uso da energia elétrica, sem desperdício”, diz.

O projeto da Apae Maringá teve financiamento a fundo perdido, após ser aprovado em chamada pública do Programa de Eficiência Energética da Copel, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

NOVOS PROJETOS – A última chamada publicada do programa acaba de encerrar inscrições com o recebimento de 144 projetos propostos.

Para esta edição, foram disponibilizados R$ 100 milhões, que servirão para financiar os projetos aprovados para o combate ao desperdício em condomínios residenciais, indústrias, entidades assistenciais e filantrópicas, instalações do poder público, pontos de comércio e consumidores rurais.

Os recursos serão destinados em duas modalidades – contrato de desempenho ou a fundo perdido – dependendo da natureza das suas atividades.

Os projetos com maior potencial de redução de consumo são classificados e contemplados após análise técnica da Copel. Os resultados das seleções, assim como novos editais e instruções para a participação, são divulgados pelo site www.copel.com

Comentários Facebook

Deixe uma resposta