Produção de citros se destaca na criação de vagas de trabalho - Foto: Reprodução/TV TEM
Produção de citros se destaca na criação de vagas de trabalho - Foto: Reprodução/TV TEM

Os pés de laranja ainda estão carregados. Sinal de que resta um último respiro da safra que começou em maio do ano passado.

O inspetor de pragas Pedro Henrique Benito faz parte do batalhão de funcionários de uma fazenda em Tabapuã, na região de São José do Rio Preto. A propriedade tem em produção 300 mil pés de laranja de 6 variedades.

A fazenda contratou 540 pessoas em 2018. Isso significa 50% a mais que na safra anterior.

Emerson Rodrigo Franco é um dos novos trabalhadores. Ele era mecânico numa usina de açúcar e álcool. Agora está satisfeito com o trabalho na laranja.

A citricultura está entre os setores que mais geraram emprego ano passado no país. Só em São Paulo foram quase 50 mil admissões, o que representa 26% das vagas geradas no estado.

Os números são do Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, da Secretaria do Trabalho, vinculado ao Ministério da Economia.

No Brasil, a citricultura foi responsável pela contratação de 644 mil pessoas, o que dá 7,48% do total do país. Os dados mostram ainda um crescimento de 9,46% em relação a 2018, quando foram geradas 44 mil contratações.

A justificativa para números tão positivos está na produção. O Brasil é disparado o maior produtor e exportador de suco de laranja do mundo, responsável por 61% da produção global. E o Estado de São Paulo é determinante no alcance desses resultados.

Vagner Silva, diretor financeiro e de recursos humanos, diz que o clima foi bom e ajudou no aumento da produção. Isso impactou na ampliação das vagas.

No município de Olímpia, o produtor André Volfe aposta em um futuro promissor para a citricultura. Ele também lembra que é preciso enfrentar alguns desafios, como o combate ao greening, que é a principal ameaça aos pomares.

André destaca que manter os tratos sanitários corretos e o investimento em irrigação são importantes para garantir produtividade e contratações.

Fonte: G1

Comentários Facebook

Deixe uma resposta