Agricultores participam de 'rali' na roça - Foto: Reprodução/TV TEM
Agricultores participam de 'rali' na roça - Foto: Reprodução/TV TEM

O agricultor vira praticamente um piloto de rally ao cruzar estradas de terra, desafiando terrenos escorregadios e muito barro. João Marino Stábile diz que vale qualquer desafio para participar de um encontro no meio da lavoura, em busca de conhecimento.

A primeira parada é em uma plantação de soja no município de Lençóis Paulista. No local, os participantes trocam experiências e se informam sobre a aplicação de adubo e defensivo.

O interesse de Júlio Márcio de Oliveira é na proteção da soja contra o percevejo. A praga causou 15% de prejuízo no ano passado.

Para as empresas que apresentam os produtos, trata-se de uma oportunidade para fazer negócios.

Cada parada em uma propriedade diferente é voltada para uma apresentação de diferentes soluções para os problemas do campo. Um fabricante de tratores vende o ‘kit palhada’ para transformar a plantadeira convencional em uma capaz de cultivar soja sobre a palha da cana.

Edemilton José Jorge, que planta soja em Araçatuba (SP), gosta do que vê. Ele pretende colocar 2 kits para rodar na lavoura.

Na última edição do rallly, os agricultores percorrem 6 propriedades. O evento, que já tem 4 anos, é organizado por uma cooperativa com filial em Lençóis Paulista.

A região onde estão os municípios de Pederneiras, Macatuba e Lençóis Paulista tem forte vocação para o plantio de cana de açúcar, um cultivo que requer muitos cuidados para que o solo se recupere a cada safra. O plantio de soja foi a alternativa encontrada para ajudar a recuperar a qualidade da terra.

A área de rotação de cultura de soja na entressafra da cana de açúcar tem crescido na região. Lucas Paulo, gerente da cooperativa, diz que há quatro anos eram 2 mil hectares de soja. Atualmente, a safra prevista é de 15 mil hectares.

A agrônoma Sheryl Ivia Hauff administra lavouras na região e se interessou pela sugestão de plantar feijão na entressafra da cana. Ela diz que o solo não deve ser alimentado apenas quimicamente, mas que deve reciclar nutrientes. Intensificando a vida microbiana, a produtividade cresce porque o agricultor terá uma planta mais sadia.

Fonte: G1

Comentários Facebook

Deixe uma resposta