O ministro da Educação, Abraham Weintraub, comparece nesta terça-feira ao Senado para falar sobre os problemas com a correção e atribuição de notas do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Feito em novembro de 2019, o Enem tem seu resultado usado como critério para o Sistema de Seleção Unificada, o SiSU, que oferece 237 mil vagas nas universidades federais. Quando as notas foram divulgadas, em janeiro deste ano, estudantes apontaram inconsistências na correção das provas e tiveram os pedidos de revisão negados. Depois, o Ministério da Educação admitiu as falhas, que atribuiu à impressão das provas. Vice-presidente da Comissão de Educação, o senador Flávio Arns, da Rede Sustentabilidade do Paraná, falou sobre os questionamentos que os senadores devem fazer durante a audiência.

"Nós temos dúvidas importantes, debates importantes, diálogos necessários que têm que ser feitos. Por exemplo, a questão do Enem, o que é que aconteceu, como é que se pode evitar problemas, perspectivas para o futuro, e o Fundeb, que é o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais, que se encerra nesse ano", disse o senador Flávio Arns.

A continuidade do Fundeb também é a maior preocupação do senador Confúcio Moura, do MDB de Rondônia.

"O desejo dos parlamentares da Comissão de Educação é que o Fundeb seja constitucionalizado definitivamente, sem prazos, podendo ser alterados alguns índices da participação dos entes federados. Então, eu creio que seja esse um assunto necessário, urgente e inadiável", disse o senador Confúcio Moura

O início da audiência está previsto para às 11 da manhã desta terça (11).

Fonte: Rádio Senado

Comentários Facebook

Deixe uma resposta