O risco de o PT ficar isolado na disputa pela Prefeitura de São Paulo é o novo argumento usado por petistas e aliados para tentar convencer o ex-prefeito Fernando Haddad a entrar na disputa municipal deste ano.

O PT ainda não abriu oficialmente as negociações com outras siglas para as eleições em São Paulo. Neste final de semana, a direção nacional do partido vai definir a política de alianças do PT para 2020.

No entanto, em conversas preliminares, os possíveis aliados do PT dizem que só aceitam apoiar o partido se Haddad for o candidato em uma chapa com a também ex-prefeita Marta Suplicy (sem partido).

Haddad já disse e repetiu reiteradas vezes que não vai ser candidato. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem respeitado a vontade do ex-prefeito. Lula tem dito que não adianta forçar Haddad a se candidatar se ele não tiver “tesão” para entrar na disputa.

O ex-presidente, no entanto, também tem dito que o cenário está “em aberto” na maior cidade do país. Segundo relatos, Lula avalia que as prévias petistas, que tem sete inscritos, podem não ser suficientes para sustentar uma candidatura.

Na reunião do diretório estadual do PT, no sábado, houve gritos de “Haddad prefeito”.

“Por ser uma grande liderança, o nome dele vai ser sempre lembrado até o fim. Não temos como impedir”, disse o presidente municipal do PT de São Paulo, Laércio Ribeiro.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Comentários Facebook

Deixe uma resposta