Uma das principais dificuldades do imaturo é não assumir a responsabilidade dos próprios atos, atribuindo eles ao meio externo.
Uma das principais dificuldades do imaturo é não assumir a responsabilidade dos próprios atos, atribuindo eles ao meio externo.

Aquele que não amadurece, precoce, prematuro, que ainda não atingiu o pleno, não se desenvolveu mentalmente. Quando uma consciência deixa suas emoções a comandarem, se torna refém dos fatores externos, perdendo o poder de suas escolhas, e se tornando em uma pessoa imatura, e isto pode prejudicar até a sua saúde. Culpa o meio externo do seu mal-estar, das suas dificuldades, e isto por pensar que o problema está do lado de fora e não dentro de si mesma. Uma das principais dificuldades do imaturo é não assumir a responsabilidade dos próprios atos, atribuindo eles ao meio externo.

A consciência imatura não acompanha a evolução do tempo, isto mostra que ela está presa a alguma coisa do passado, um trauma, por exemplo. E isto faz com que ela sempre tente reiniciar a sua vida do ponto do trauma que sofreu, mas muitas vezes, ela não vê saída pelo ato que cometeu, ela queria que o tempo voltasse antes dela cometer o ato para fazê-lo da maneira certa, mas como já fez o errado, não sabe continuar dali para frente, e sempre terá atitudes de criança, como quem diz: a criança não sabe o que faz, não teve maldade, não sabia o que estava fazendo e ela se conforta nestas palavras.

Mas lá no fundo da alma ela sabe que não é assim, e carrega o peso do erro que cometeu querendo apagar da sua memória, mas não vê a saída que já está dentro dela. Neste caso é necessária muita compreensão e de fato encarar a realidade das coisas. Deve haver o arrependimento verdadeiro do erro cometido, ou no caso desse trauma ter sido causado por outra pessoa é preciso enxergar em si mesmo, que será melhor seguir adiante no caminho, pois o que passou, passou, e tanto os traumas, quanto a imaturidade, prejudicam a própria consciência de ser saudável.

Comentários Facebook

Deixe uma resposta