Terra de ninguém E pensam que isso é normal Terra de ninguém Tristeza do divinal
Terra de ninguém E pensam que isso é normal Terra de ninguém Tristeza do divinal

Vejo campos assolados
Gritos ecoam pelo ar
O meu coração aperta
O que posso fazer para ajudar?

Nasci aqui neste mundo
E deparei-me com tudo perdido
Mas eu vejo por outros olhos
Enxergo a vida e seu sentido

Terra de ninguém
E pensam que isso é normal
Terra de ninguém
Tristeza do divinal

Tento curar este olho
A visão da consciência
Queria tanto libertá-las
E mostrar a divina ciência

O externo está destruído
E as almas estão doentes
Os corpos doloridos
Ilusões ludibriam as mentes

Terra de ninguém
E pensam que isso é normal
Terra de ninguém
Tristeza do divinal

Não vejo mais a pureza
Nem nos olhos das crianças
Todos olhares perdidos
Corações sem esperança

Mas continuo na labuta
Tentando plantar o bem
Quem sabe a compreensão transmuta
Alguma alma nesta Terra de ninguém

Comentários Facebook

Deixe uma resposta