'Ximbinha é agressivo e os funcionários têm medo', diz cantora que acusa músico de agressão
'Ximbinha é agressivo e os funcionários têm medo', diz cantora que acusa músico de agressão

O cantor Ximbinha, 45, está sendo acusado pela agora ex-vocalista da banda dele, a Cabaré do Brega, de humilhações e agressões verbais. De acordo com a cantora Carla Maués, de 41 anos, Ximbinha tem surtos e crises de fúria quase que diariamente, a ponto de esmurrar a parede e quebrar o que ele vir pela frente caso seja contrariado.

A gota d’água que culminou na saída dela da banda foi uma agressão verbal muito forte que foi presenciada pela filha dela, de seis anos. No episódio, ocorrido no mês de dezembro de 2019, Ximbinha, segundo Carla, foi para cima dela a xingando de nomes impróprios. Seguranças do local tiveram de segurá-lo e tirar a criança de perto.

“Eu já vinha sofrendo há muito tempo essas humilhações. Ele dizia que eu era gorda, feia, que minha voz não era boa, sempre em público. Parece que ele se alimentava disso, de ver o sofrimento das pessoas. Isso foi me gerando tristeza, me recolhi em casa, perdi a vontade de sair e de trabalhar. Precisarei me tratar”, conta ela sobre o ex-marido de Joelma.

Ela relembra o dia quando a pior briga aconteceu. Foi dentro de um estúdio. “Eu já queria sair naquele dia, eu já estava fora. Mas a esposa dele que também é produtora me convenceu a completar a apresentações até o Réveillon por causa dos contratantes”, afirma ela, que diz que foram inúmeras as vezes que a esposa de Ximbinha disse que os dois iriam se acertar e colocar um ponto final nas discussões, o que nunca aconteceu.

No mesmo dia da briga, ocorrida no final da tarde e presenciada pela filha de Carla, a vocalista tinha uma viagem com a banda Cabaré do Brega de noite. Carla disse que sua filha “implorou para que não viajasse com o monstro” com medo de ela ser agredida. Porém, acabou viajando. A mãe de Carla, de 67 anos, que sofre de hipertensão, soube do episódio pela neta e teve de bater de madrugada na casa da cantora para pedir que não fosse ao show. “Mas eu precisava ir.”

De acordo com Carla, todos os mais de 20 funcionários que trabalham na equipe de Ximbinha têm medo dele por conta das crises de fúria “do nada e sem motivo” que ele tem. “Ele é doente e precisa se tratar. Imagina você sair de um show às 4h, entrar num ônibus para ir para outra cidade e acordar com gritos e socos na parede. Eram brigas dele com todo mundo. Todos têm medo, mas precisam do emprego.”

Carla, que está disposta a processar Ximbinha, completa dizendo que não chegou a sofrer com ameaças nem nunca teve o corpo tocado por Ximbinha. As agressões eram verbais, mas que machucavam como se fossem físicas. “Agressões não são só físicas. Eu vivi uma tortura com um homem me chamando de vagabunda o tempo todo. Isso é uma grande violência.”

A partir de agora a cantora e compositora partirá em carreira solo. A banda já foi escolhida.

Wlad Costa, amigo e Carla e ex-deputado, chegou a fazer um vídeo antes mesmo dos depoimentos de Carla. Ele explicava e denunciava Ximbinha. “Ela sofre ameaças, precisa de medida protetiva, sua família está aflita. A Carla Maués saiu repentinamente do projeto. Não estava com carteira assinada. Foi torturada e agredida na frente da própria filha dentro do estúdio. Está agora com graves problemas psicológicos. Ela vinha passando por diversas humilhações”, disse ele em parte do vídeo publicado em suas redes sociais.

Procurado, Ximbinha não respondeu às solicitações até o fechamento deste texto. A banda Cabaré do Brega já apresentou sua nova vocalista poucos dias após a saída de Carla.

MAIS CASOS

Essa não foi a primeira denúncia contra Ximbinha. Joelma e Ximbinha anunciaram a separação em agosto de 2016. No início de setembro, o guitarrista pediu afastamento do Calypso, alegando que passaria por uma cirurgia nos olhos.

Foram 18 anos juntos, e o término ocorreu depois de relatos de uma relação muito abusiva, envolvendo agressões e abusos psicológicos.

Alvo de boatos de que teria traído Joelma, o guitarrista foi chamado de “safado” em coro pela plateia de um show no Distrito Federal e teve de ser substituído por Ian Marinho, ex-integrante da Forró Anjo Azul.

Em 2015, um ex-dançarino da banda Calypso veio a público falar sobre a suposta agressão que sofreu por parte do ex-patrão, Ximbinha. Leicy Sposito, que deixou a banda em 2014, só revelou o caso depois, na mesma época em que Joelma fez um boletim de ocorrência contra o ex-marido, também por agressão.

Ximbinha também já foi flagrado chutando a mão de um fã durante um show. Ele estava filmando os dançarinos.

Comentários Facebook

Deixe uma resposta