Na rede social da entidade, os jovens artesãos ganharam um perfil e podem receber convites para participarem de exposições, feiras, fóruns de aprendizagem e eventos
Na rede social da entidade, os jovens artesãos ganharam um perfil e podem receber convites para participarem de exposições, feiras, fóruns de aprendizagem e eventos

Um projeto que incentiva artesãos a produzir peças de madeira com resíduos florestais. A iniciativa da Sema, Secretaria de Meio Ambiente do Acre, vem profissionalizando especialmente 10 jovens da Associação Seringueira Porto Dias, localizada em um assentamento agroextrativista na zona rural do município de Acrelândia.

A iniciativa deu tão certo que eles foram incluídos na Artesol, Rede Nacional de Artesanato. Na rede social da entidade, os jovens artesãos ganharam um perfil e podem receber convites para participarem de exposições, feiras, fóruns de aprendizagem e eventos. Também é uma forma deles manterem contato com consumidores, lojistas, estudantes, pesquisadores e interessados para parcerias futuras.

Dayane Nascimento, aluna que ajuda a coordenar o projeto, conta que nas plataformas digitais, as peças confeccionadas pelo grupo ganharam as graças de lojistas e consumidores. Uma delas é a Gamela, uma espécie de vasilha de madeira, de vários tamanhos, cores e formas.

Dayane também ressalta a oportunidade de obter renda, sem sair da comunidade, por meio desse trabalho.

Para a coordenadora do Núcleo de Manejo Florestal Madeireiro da Sema, Luciana Rôla, o projeto também ajuda a afastar os jovens de situações de vulnerabilidade, evitando a criminalidade, por exemplo, além de melhorar a autoestima.

O projeto de assentamento Agroextrativista Porto Dias é uma das últimas áreas de florestas do município de Acrelândia, onde a economia de base florestal é uma das únicas fontes de renda para as famílias.

Fonte: EBC

Comentários Facebook

Deixe uma resposta